Skip to content Skip to footer

Alopecia: o que é e soluções de tratamento

Quer seja curto, comprido, liso ou encaracolado, o cabelo assume uma grande importância na nossa aparência. A sua perda parcial ou total provoca um grande constrangimento, afetando muito a nossa autoestima.

Diariamente perdemos entre 50 e 100 cabelos, mas quando essa queda é superior a 150 fios de cabelo por dia, estamos perante um sintoma de alopecia.

O que é a Alopecia?

A alopecia, também conhecida por calvície, caracteriza-se pela perda, parcial ou total, de cabelo ou pêlo, em qualquer região do corpo.
Habitualmente, essa perda de cabelo acentuada ocorre, sobretudo, nos homens em idade adulta (cerca de 50%), mas também afeta uma parte da população feminina (20% a 40%).

O fator genético é a principal causa desta patologia, que também pode ocorrer em situações de muito stress, por ação de certos medicamentos (ex: em tratamentos como quimioterapia), carências nutricionais ou até mesmo por doença.

Assim, existem vários tipos de alopecia, com diferentes origens e padrões de intensidade.

Tipos de Alopecia

Alopecia cicatricial

Ocorre quando o cabelo cai de forma definitiva e os folículos pilosos são destruídos, deixando de existir pêlo/cabelo de forma definitiva.

Alopecia não cicatricial

Ocorre quando o cabelo cai, mas o folículo não é destruído, existindo, assim, a possibilidade de este voltar a crescer.
De seguida abordamos as tipologias de alopecia não cicatriciais, que são as mais comuns:

Alopecia androgenética: Trata-se da perda de cabelo causada por fatores genéticos, sendo o tipo de alopecia mais frequente (calvície comum). Nos homens manifesta-se através de falhas na frente (“entradas”), zona lateral e parte superior da cabeça. No caso da mulher pode apresentar um padrão em “árvore de natal”, em que existe um alargamento da linha central do couro cabeludo.

Eflúvio telogénico: Caracteriza-se pela perda de cabelo de forma difusa, sem culminar na calvície total. Nestas situações verifica-se uma perda acentuada dos folículos capilares e o cabelo assume um aspeto fraco. Este tipo de alopecia tem como principais origens problemas endócrinas (hipertiroidismo ou o hipotiroidismo), através de alguns medicamentos ou até mesmo má alimentação.

Alopecia Areata: Manifesta-se através da perda de cabelo repentina, sob a forma de peladas numa ou várias zonas do couro cabeludo. Esta define-se como uma doença autoimune, em que o organismo produz anticorpos contra si mesmo e cria uma inflamação no couro cabeludo.

Tipos de Tratamento

Para quem sofre de alopecia o primeiro passo é a realização de uma consulta de avaliação onde o médico faz um exame de diagnóstico do cabelo, indica qual o tratamento mais adequado e verifica a viabilidade do mesmo.

Medicação: Uma das opções terapêuticas da alopecia passa pela toma de medicação adequada ao tipo de alopecia do paciente;

Aplicação tópica: é comum o médico prescrever um produto de aplicação tópica muito eficaz que favorece o crescimento do pêlo e atua na prevenção da queda. Na maioria dos casos é também recomendado o uso de um champô específico para a falta ou queda de cabelo do paciente;

Transplante Capilar: Uma das opções de tratamento mais atuais e avançadas, entre os pacientes que sofrem de alopecia (calvície), é o transplante capilar que pode ser efetuado através das seguintes técnicas:

  • Transplante Capilar com técnica FUE-Safira: A técnica de transplante capilar FUE-Safira é a mais utilizada no meio clínico e consiste na extração individual das unidades foliculares do paciente (da zona dadora) para posterior recolocação;
  • Transplante Capilar com técnica DHI: é uma técnica de transplante capilar mais recente, em que o método de extração dos folículos é semelhante ao FUE, diferencia-se pelo facto de não ser necessário rapar o cabelo, pois os folículos são implantados com recurso a uma caneta de Choy, sem necessidade de realização de incisões com a lâmina de safira. Contudo, este tipo de tratamento apresenta algumas limitações, porque nem todos os pacientes o poderão fazer, uma vez que se encontra reservado para um menor número de unidades foliculares a transplantar;
  • Transplante Capilar com técnica FUT: A técnica FUT, também conhecida como Strip, é uma técnica de transplante capilar que consiste no corte de uma faixa do couro cabeludo, com recurso a um bisturi, da zona dadora. Posteriormente, as unidades foliculares são retiradas desta faixa e serão implantadas nas zonas em que o paciente não tem cabelo. Esta técnica é mais usada em pacientes com uma área dadora com menor densidade capilar, mas que cria uma cicatriz linear maior.

Na nossa clínica da Lixa já é possível tratar da sua alopecia, através de soluções de tratamento inovadoras e pouco invasivas que incluem as várias técnicas de transplante capilar (mencionadas anteriormente), bem como tratamentos injetáveis (realizados na clínica) e personalizados ao problema do paciente.

Autora:
Dra. Filipa Rodrigues de Sousa
Transplantes e Saúde Capilares

MARCAÇÕES

Marque a sua consulta!

    Especialidade

    Clínica

    Clínica

    Clínica Médica Jardim - logo

    Há mais de 36 anos
    uma referência na saúde

    Moradas

    Avenida Fontes Pereira de Melo, 482
    4149-012 Porto

    Edifício Jardim, Praça Dr. Eduardo Freitas 2.º Piso,
    4615-515 Vila Cova de Lixa

    Contactos

    Clínica do Porto
    (+351) 226 109 259
    (+351) 961 227 251 

    Clínica da Lixa
    (+351) 255 490 520
    (+351) 937 811 502

    (Chamadas para as redes fixa e  móvel nacionais)

    Go to Top